Translate this Page



Partilhe este Site...

  Links do Autor

 

  

 

Total de Visitas

 

 

710990, Healthy Sleep Habits, Happy Child: A Step-By-Step Program for a Good Night's Sleep pdf free, site 383485, free book, Becoming a Design Entrepreneur: How to Launch Your Design-Driven Ventures from Apps to Zines pdf free, book download, this site, book download, this link, free book,

Ditados e Provérbios Populares
Ditados e Provérbios Populares

     Os Ditados e os Provérbios Populares (frases e expressões usadas pelo povo) transmitem conhecimentos comuns sobre a vida. Muitos deles foram criados na antiguidade, porém estão relacionados a aspectos universais da vida, por isso são utilizados até os dias atuais. É muito comum ouvirmos ditados ou provérbios populares em situações do cotidiano. Quem nunca ouviu, ao fazer algo rapidamente, que "a pressa é a inimiga da perfeição". Os ditados e os provérbios populares fazem sucesso, pois possuem um sentido lógico.

     A maioria é de criação anônima. O ditado e o provérbio popular é fácil de decorar e transmitir em função de seu formato simples, curto e direto. Falam sobre diversos assuntos e fazem parte da Cultura Popular Tradicional.

     Nesta página recolhi alguns ditados e provérbios populares comumente usados em Nova Lima e pesquisei suas origens e repasso os mesmos aqui.

 

- O pior cego é aquele que não quer ver.

Significado: Diz-se da pessoa que não quer ver o que está bem na sua frente. Nega-se a ver a verdade.

Histórico: Em 1647, em Nimes, na França, na universidade local o Doutor Vicent de Paul D'Argente fez o primeiro transplante de córnea em um aldeião de nome Angel. Foi um sucesso da medicina da época, menos para Angel, que assim que passou a enxergar ficou horrorizado com o mundo que via. Disse que o mundo que ele imaginava era muito melhor. Pediu ao cirurgião que arrancasse seus olhos. O caso foi para no tribunal de Paris e no Vaticano. Angel ganhou a causa e entrou para a história como o cego que não quis ver.

 

- Andar à toa.

Significado: Andar sem destino, despreocupado, passando o tempo.

Histórico: Toa é uma corda com que uma embarcação remboca a outra. Um navio que está "à toa" é o que não tem leme nem rumo, indo para onde o navio que o reboca determinar. Uma mulher à toa, por exemplo, é aquela que é comandada pelos outros. Jorge Ferreira de Vasconcelos já escrevia. em 1619: Cuidou de levar à toa sua dama.

 

- Casa de mãe Joana.

Significado: Onde vale tudo, todo mundo pode entrar, mandar, etc.

Histórico: Este vem da Itália. Juana, rainha de Nápoles e condessa da Provença (1326-1382), liberou os bordéis em Avignon, onde estava refugiada e mandou escrever nos estatutos "que tenha uma porta por onde todos entrarão". O lugar ficou conhecido como Paço da Mãe Joana, em Portugal. Ao vir para o Brasil a expressão virou "Casa de Mãe Joana". A outra expressão envolvendo Mãe Joana, um tanto chula, tem a mesma origem naturalmente.

 

- Água mole em pedra dura tanto bate até que fura.

Significado: A expressão louva a persistência como virtude que vence a dificuldade, ou seja, insista que você consegue.

Histórico: Há registro de dois milênios em Ovídio (43 a.C.-18 d.C.), poeta latino, autor de A arte de amar e Metamorfoses: “A água mole cava a pedra dura.” É tradição de várias culturas formar rimas nesse tipo de oração para facilitar a memorização. Foi o que nós, de língua portuguesa, fizemos com o provérbio.

 

- Salvo pelo gongo.

Significado: Escapar de se meter numa encrenca por uma fração de segundos.

Histórico: O ditado tem origem na na Inglaterra. Lá, antigamente, não havia espaço para enterrar todos os mortos. Então, os caixões eram abertos, os ossos tirados e encaminhados para o ossário e o túmulo era utilizado para outro infeliz. Só que, às vezes, ao abrir os caixões, os coveiros percebiam que havia arranhões nas tampas, do lado de dentro, o que indicava que aquele morto, na verdade, tinha sido enterrado vivo (catalepsia – muito comum na época). Assim, surgiu a idéia de, ao fechar os caixões, amarrar uma tira no pulso do defunto, tira essa que passava por um buraco no caixão e ficava amarrada num sino. Após o enterro, alguém ficava de plantão ao lado do túmulo durante uns dias. Se o indivíduo acordasse, o movimento do braço faria o sino tocar. Desse modo, ele seria salvo pelo gongo.

 

- A voz do povo é a voz de Deus.

Significado: Essa tá obvia. Quem realmente sabe das coisas é o povo.

Histórico: As pessoas consultavam o deus Hermes, na cidade grega de Acaia, e faziam uma pergunta ao ouvido do ídolo. Depois o crente cobria a cabeça com um manto e saía à rua. As primeiras palavras que ele ouvisse eram a resposta a sua dúvida.

 

- Ver passarinho verde.

Significado: Estar apaixonado.

Histórico: O passarinho em questão é uma espécie de periquito verde. Conta uma lenda que alguns românticos rapazes do século passado adestravam o bichinho para que ele levasse no bico uma carta de amor para a namorada. Assim, o casal de apaixonados tinha grandes chances de burlar a vigilância de um paizão ranzinza.

 

- Onde Judas perdeu as botas.

Significado: Lugar longe, distante, inacessível.

Histórico: Como todos sabem, depois de trair Jesus e receber 30 dinheiros, Judas caiu em depressão e culpa, vindo a se suicidar enforcando-se numa árvore. Acontece que ele se matou sem as botas. E os 30 dinheiros não foram encontrados com ele. Logo os soldados partiram em busca das botas de Judas, onde, provavelmente, estaria o dinheiro. A história é omissa daí pra frente. Nunca saberemos se acharam ou não as botas e o dinheiro. Mas a expressão atravessou vinte séculos.

 

 

     QUANDO UM BURRO FALA O OUTRO MURCHA A ORELHA.

 

topo